Só faltou Ben Affleck...

Ta, não é que eu odeie ou tenha algum tipo de cisma com o Michael Bay, eu só acho que o cara estraga tudo o que ele toca! Como é que um cara que ganha o roteiro de uma coisa tão cool como Transformers (ets/robôs/que viram carros) das mãos do próprio Spielberg consegue transformar numa coisa tão batida, chata e republicana como uma guerra?

 

A verdade é que Transformers acabou virando um campo de batalha como aqueles satirizados por Michael Moore, com direito a soldados em missão no Oriente Médio, Air Force 1 e centrais de inteligência, que não seguem com o propósito do nome. Se perdeu na história? Ta, eu tento explicar...

 

Sam Witwicky (Shia LaBeouf) é um daqueles típicos losers daqueles colegiais americanos que todo mundo conhece. Ele é apaixonado pela gatinha do colegial Mikaela (Megan Fox), que só faltou ser líder de torcida. Acontece que ele compra um carro que não é dos mais normais: um Camaro amarelo que tem o costume de criar vida própria (ta, meu carro também faz isso às vezes). Esse carro nada mais é do que um transformer da turminha dos Autobots (os bonzinhos). Daí os Decepticons (a galera do mau) aparece e quer os óculos do tatataravó do Sam, porque parece que o veio descobriu o chefe deles no pólo sul anos e anos atrás.

 

Argumento medonho, não? Mas isso não é o pior de tudo. Os personagens são muito mal trabalhados: foram baseados em estereótipos bem batidos para facilitar o entendimento do público sobre suas ações: o carinha azarado, a gostosa mais macha que o guri, os pais constrangedores, o agente nojentinho, o soldado gatinho e corajoso (que poderia ser o Ben Affleck) o gordo nerd viciado em DDR e a loira, gostosa e inteligente (?).

 

O que salva o filme são os próprios transformers. Os efeitos utilizados para a montagem deles foi muito caprichada e são, de longe, a coisa mais simpática do filme. Uma pena que o filme não tenha sido apenas deles, com certeza seria mais coerente e divertido.

(continuação)

Eu sei que tenho costume de reclamar da longa duração de algumas produções. Não é que eu não goste de filmes longos (amo as quase quatro horas de ...E o Vento Levou), mas eu acho que a história deve se sustentar a cada minuto. No caso de transformers, o nosso herói mais querido Optimus Prime leva cerca de uma hora para ter sua primeira aparição. Isso sem contar que os 40min finais são se explosões interruptas que me fizeram ligar o modo stand by the end. Ou seja: todo o filme poderia ser resolvido em mais ou menos uma hora e vinte. Seria mais barato, mais bonito e todo mundo sai feliz.

 

Uma pena que tanto efeito tenha se sobreposto à história – que, como viram, não é das melhores. Filmes de ação geralmente são assim, e isso é bem a cara do Michael Bay! Ele já fez isso em Armageddon, Pearl Harbor e A Ilha. Afinal, não é por acaso que já foi indicado algumas vezes ao Framboesa de Ouro. Aliás, a principal característica desse ‘diretor’ é abrir mão dos computadores e fazer todas as explosões de verdade. Não é por pouco que seus filmes são verdadeiras bombas...

 

Sugestões para Michael Bay:

 

Onde assistir: cinema. Mas espere passar na Temperatura Máxima!

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil


Quem?Luciana da Cunha
O que?Estudante de Jornalismo
Quando?07 de abril de 1988
Onde?Blumenau, SC